GERAL

Intraempreendedorismo: empreender não é só abrir o próprio negócio
Competência está relacionada à inovação e à habilidade de realizar as tarefas profissionais de uma nova forma


Instrutor da área de Gestão do Senac Goiás - Ricardo Saraiva - Foto: Reprodução

Embora muitas pessoas acreditem que empreender é uma característica exclusiva de pessoas que largam o trabalho ou a carreira para investir no próprio negócio, esta é uma competência relacionada à inovação, à habilidade de realizar as tarefas profissionais de uma nova forma. Esse modo de empreender também é chamado de Empreendedorismo Corporativo ou, como vem sendo tratado no meio empresarial, Intraempreendedorismo.  

Segundo o dicionário, empreender significa decidir, realizar (tarefa difícil e trabalhosa), tentar, pôr em execução, realizar. “Gosto de resumir empreender em aplicação, ação prática de tempo, recurso e esforço em algo ou alguma coisa. Por isso, essa característica está ligada a atitudes empreendedoras”, compartilha o Instrutor da área de Gestão do Senac Goiás, Ricardo Saraiva.

Já o Intraempreendedorismo, conforme explica o instrutor, é uma habilidade que o profissional aplica dentro de um mercado, de um trabalho ou dentro de uma ideia com foco na produtividade. “Abrir um negócio também é empreender. Mas também podemos empreender para nossa vida, para nossa carreira e nossa produtividade profissional”, diz Saraiva.

Assim, o Intraempreendedorismo é, de acordo com ele, “aplicar tempo, recursos e esforços em um projeto, no seu crescimento profissional”.

Para desenvolver o intraempreendedorismo, Saraiva preparou 4 dicas que podem ser aplicadas por qualquer profissional:

1 – Aprendizado contínuo - aprender de forma continuada e crescente.

“Sempre buscar novas competências, habilidades e conhecimentos e investir nisso. Tudo que realmente importa para nós, nós gastamos tempo, recursos e esforços. Para desenvolver o intraempreendedorismo eu preciso estar focado em aprender sempre e aprender mais. Conhecer coisas novas, assuntos novos, principalmente pertinentes ao seu local de trabalho ou à sua função. Por exemplo, pensar como você pode melhorar aquilo que você já está fazendo de bom na empresa. Expanda seus conhecimentos.”

2 – Quem são as suas referências?

“Você é o que você segue. Para quem você está olhando? Qual é o profissional de referência que você olha e pensa ‘quero ser como ele’. As pessoas que você segue ou os objetivos dessas pessoas geralmente se casam com os seus? Costumo dizer que precisamos ter como referência pessoas que estão acima de nós em níveis técnicos, de conhecimento e com maior habilidade e maiores competências desenvolvidas e nítidas, natas.”

3 - Construa relacionamentos.

“Conecte-se a pessoas que vão agregar valor e principalmente vão ajudar você a construir a sua caminhada para o seu propósito. As pessoas com as quais você se relaciona contribuem bastante com o seu futuro, seja de forma positiva ou negativa. Você é o resultado das suas escolhas. Falar de intraempreendedorismo é falar de comportamento de mudança de consciência e talvez isso possa também permear a mudança de relacionamentos.”

4 – Invista tempo, recursos e esforços.

“Tudo que de fato importa para nós, nós gastamos tempo, gastamos os nossos recursos e, claro, empenhamos o nosso esforço. Quanto tempo você tem gastado para ir atrás daquilo que de fato é importante para você? Quanto você tem empenhado em relação aos seus recursos. E, principalmente, o quanto você tem se esforçado?”

Se você deseja desenvolver o intraempreendedorismo em você ou na sua equipe, o Senac tem o que você procura. Acesse o site go.senac.br e confira os cursos disponíveis.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM